Como parte de seu programa de formação no campo da moda e empoderamento da mulher, o Mozambique Fashion Week (MFW), em parceria com a Embaixada da Indonésia em Moçambique, enviou a designer moçambicana Amirah Pinheiro para conhecer a cultura e a arte do batik em Jakarta.

Além de ampliar as suas técnicas, a moçambicana está a visitar locais históricos, fazer intercâmbios culturais para possibilitar uma relação mais próxima entre estes dois países irmãos.

Amirah já se encontra na capital da Indonésia, onde está a ampliar os seus conhecimentos sobre a confecção do batik. Desde sua chegada, ela já  teve a oportunidade de visitar o Museu Têxtil de Jakarta, que tem mais de 800 peças de coleção de batik oriundas de toda a Indonésia. Depois da visita, o MFW pretende que ela partilhe os conhecimentos adquiridos numa formação durante o evento deste ano, para que os estilistas nacionais bebam da experiência que ela adquiriu além fronteiras.

Desde 2019 que o batik está inscrito pela UNESCO como patrimônio cultural imaterial da humanidade. A Indonésia teve um papel chave para esta elevação. A arte criada neste país se espalhou pelo continente asiático por meio dos holandeses, de modo a impulsionar os processos de estamparias realizados pelas indústrias europeias.

Em Moçambique, encontra-se uma grande variedade de trabalhos em batik, tanto no vestuário, como nas artes. Um dos principais precursores da técnica foi Malangatana, artista de múltiplas facetas, extremamente criativo e intuitivo. Além disso, há uma vasta gama de artistas que se dedicam a esta produção artística.

wpChatIcon